quinta-feira, 19 de agosto de 2010

O Gremio Foot-ball Porto Alegrense e eu





Depois do fatidico dia 18 de agosto de 2010, eu pensei que minha vida, gremista fervorosa que sempre serei, iria mudar (pra pior). Felizmente, o sol nasceu como de costume no outro dia, o mundo nao parou de girar, a vida seguiu seu rumo. A America estaria vermelha agora. E o Rio Grande do Sul, consequentemente, tambem. Contudo, consegui conviver harmoniosamente com meus "coirmaos", agora tambem bicampeoes da Libertadores. Nao sei se eh a idade, o espirito esportivo que cresceu dentro de mim ou a tal da maturidade mesmo: simplesmente me diverti. Ha alguns anos, eu nunca imaginaria ficar na boa com um titulo colorado. Ateh porque nem era comum isso acontecer mesmo... :P
Devo aqui deixar registrado os meus parabens a todos meus amigos e alunos colorados e, como disse hoje, em alto e bom tom, espero o mesmo tratamento quando meu time for campeao (porque ele sera, obviamente). Se preciso for, imprimirei uma copia desse texto para que nos, gremistas, sejamos tratados com o mesmo respeito que eu vi meus companheiros de time tratando o "rival". Fair play. Foi bonito.
Rasgacoes de seda ah parte, hoje um aluno me perguntou PORQUE eu era gremista. Ele, com seus 8 anos de idade, realmente nao deve entender porque uma pessoa em sua sa consciencia escolheria um time que nao "ganha nada". E a pergunta - pertinente - me fez tentar relembrar as origens do meu gremismo. "Por que eu sou gremista e nao sou colorada?"
Um filme veio ah minha cabeca: desde pequena, gremista. Familia: 99% gremista. Tantas Copas do Brasil. Libertadores. Gauchoes. Emocoes. Choros. Gritos. Brigas. Garra. Determinacao. A inesquecivel batalha dos aflitos que os colorados adoram menosprezar (com seu pequeno grau de razao, claro). Lembrei do mundial que eu vi meu time perder em 95. Como eu chorei e briguei. Lembrei do Felipao. Do Mano. Do Jardel - Paulo Nunes- Carlos Miguel. E eu vivi tudo isso. Eu VIVI. Entao, olhei pro meu aluninho, sedento por uma resposta, e disse: porque, como tu, eu vi meu time ganhar tudo. E eu sei como eh maravilhoso o sabor da vitoria e amargo, o da derrota. Ele nao entendeu patavinas, porque ele soh viu o Inter vencedor. O inabalavel e temido time. E eu sei como eh. Nos, tricolores, sabemos.
Eu jah tive minha parcela de derrotas. Comemorei muito com meu time tambem. Claro. Mas essas coisas sao inerentes ah vida e ao futebol: se perde, se ganha. Eh ciclico. Mas por que eu sou gremista entao??? Eu sou porque minha familia toda eh. Nao, nao eh uma boa resposta essa. Nao eh, porque minha irma virou a casaca e agora comemora o bicampeonato da Libertadores. Nao, nao eh pela familia nao. Por que raios eu sou gremista ateh hoje entao?





Eu nasci no dia 15 de setembro. A mesma data da fundacao do Gremio. Hm. Uma boa explicacao essa. Ou ateh uma boa desculpa pros colorados chatos e insistentes. Mas nao, tambem nao eh por isso.
Buscar respostas pra sentimentos nem sempre eh possivel. Eh por isso mesmo que sao chamados "sentimentos": eh pra ser sentido, nao explicado, muito menos racionalizado. A unica coisa que eu sei, de fato, eh que eu amo o Gremio. Amo a combinacao das suas cores. Amo o hino. Amo o estadio. Amo sua historia. Seus jogos me emocionam e mexem comigo. Ontem, assistindo ao jogo do Inter, eu tentava sentir algo: empatia, raiva, whatever. Nao conseguia. Nada. Zero. Niente.
Dai que eu entendi: como amores e amigos, time de futebol eh escolha. E da mesma forma que escolhemos nossos afetos por razoes pessoais (unicas e intransferiveis) e tambem pela quimica, eu escolhi o Gremio. E ele me escolheu. Ele mexe comigo. Estando na Serie A ou Z. E eh por essas e muitas outras que, falta de originlidade ah parte, estarei com o Gremio onde o Gremio estiver.

Greminho querido, valeu pelas noites em claro, pelas bebedeiras, pelas brigas e pelo mau humor tambem. Valeu por esse turbilhao de emocoes. Que tu continues mexendo comigo, como sempre fizeste. "Abalando" minhas estruturas. Mas, de joelhos, tambem te peco: nao me facas esperar muito. Porque sinto falta da cor do ceu nas ruas. De caminhar pelo paraiso. Mesmo. Chega de inferno. Beijo no coracao.





Um comentário:

Alemoa disse...

Bah, eu lembro como sofri quando o Grêmio perdeu pro Ajax em 95... Eu chorava feito criança - aliás, eu era uma (tinha 9 anos). Acho que foi por isso que me desiludi com o futebol... Não sei porque, mas com esse bi do Inter me deu uma vontade imensa de voltar a apoiar de verdade o meu time! Bjs Hell!!! Amo o teu blog!!!