domingo, 4 de abril de 2010

Ressurreicao


Eu nunca fui religiosa. Nunca fui por circunstancias da vida mesmo. Venho de familia de pai descrente. Ponto. E de uma mae que acredita em Deus, sim. Mas nunca foi a favor de fanatismos. Professora de historia, tah explicado. Caso minha criacao tivesse sido diferente, talvez agora eu estaria "missionando" em algum povoado pobre na America Latina. Mas nao.

Jah causei vergonha na familia por, mesmo estudando em colegio catolico, nao saber oracoes (ateh hoje nao sei o Pai Nosso!) e fugir de missas e igrejas. Tambem nao casarei como manda o ritual cristao e muito menos de branco. Nunca pensei em ter filhos (ateh pouco tempo, mas isso eh assunto pra depois). Nenhuma dessas coisas me torna uma herege. Muito menos uma anticristo. Soh sou. Ou melhor, nao sou. Sem culpas. Minha religiao nao permite isso.

A coluna do Moacyr Scliar hoje na ZH tava pra mim. Ele falava exatamente o que eu penso desse momento simbolico que eh a tal da Pascoa. Eh momento de ressurreicao. Isso mesmo. Mas ressurreicao propria. De nos mesmos: do que fomos, somos e algum dia seremos. Talvez seja um momento mesmo para que, ao inves de somente empanturrarmos com chocolates (guilty!) e desfrutarmos do ocio e prazeres de um feriadao (guilty again!), paremos e reflitamos um pouco. Aquela coisa boba mesmo de colocar tudo na balanca e perguntarmos onde queremos chegar ou estar. Ou ser. Whatever.

Viver eh foda, morrer eh dificil, jah dizia o grande idolo de teenage days, RR. "Morrer", nesse caso, eh deixar pra tras tudo que nao nos serve mais. O que nao nos faz bem. O que nao faz mais diferenca. Deixar uma parte nossa morrer eh sempre dificil. Talvez por medo mesmo. Inseguranca. Muito provavelmente por conformismo tambem. O velho conhecido eh sempre mais atrativo e confortavel.

Mesmo achando que estou beeeem longe da tal perfeicao, nessa Pascoa creio que tem muito pouco de mim pra morrer e renascer. Uma dadiva, considerando meu historico de reclamacoes e indignacoes. E defeitos incontaveis. Um milagre ateh!

Eu, como Cristo, como tu, como eles, estou "ressurgindo" tambem. Pronta pro novo. Aceitando o velho como bom e memoravel. Encarando o futuro como um bom companheiro. Sem medo de reencontrar o passado pelas esquinas da vida. Sem culpa de acreditar que o que estah por vir serah muito melhor.

Daqui 365 dias serah tempo de ressurreicao again. Ateh lah, bom, espero que os dilemas sejam outros, os problemas menos tangiveis e a vontade de mudar-melhorar, eterna. Como o corpo de Cristo.

Amem.

2 comentários:

Guilherme disse...

Such is the way of the world
You can never know
Just where to put all your faith
And how will it grow

Gonna rise up
Bringing back holes and dark memories
Gonna rise up
Turning mistakes into gold

Such is the passage of time
Too fast to fold
And suddenly swallowed by signs
Low and behold

Gonna rise up
Find my direction magnetically
Gonna rise up
Throw down my haste in the road

Helena disse...

Ah, o Eddie Vedder...