domingo, 11 de abril de 2010

You only live once


You only live once. Apesar de existir um filme do agente secreto James Bond entitulado "You only live twice", eh somente mesmo na ficcao que isso eh possivel. Infelizmente. Acabei de voltar de um encontro com a parte Leite-Wiklicky da familia. E dias como o de hoje me fazem querer tornar verdade o poder "live twice". Pra ter a oportunidade de viver tudo o que foi bom novamente, reparar erros do passado, nao deixar certas coisas que sao extremamente importantes de lado - por descuido mesmo - e desfrutar mais dos prazeres que eh ter uma familia tao bacana.

Encontros como esse que, ah medida em que o tempo passa, vao ficando mais raros, me deixam feliz e me fazem entrar em contato com uma parte minha que nunca vai morrer: a minha infancia, a minha base. Rever meus primos, agora pais de familia (ou encaminhado-se para) e ocupando cargos de extrema responsabilidade em seus empregos traz ah tona aquela parte da minha vida (e da deles tambem) em que tudo era festa e brincadeira. Eu e meu primo Mauricio somos os mais novos da linhagem dos Leite. A minha mana e os outros rapazes jah estao alguns anos ah frente. E talvez tenha sido esse o fato que nos separou no periodo pre e pos adolescencia. A familia Leite ocupa grande e vital parte das minhas lembrancas de dias de ocio: os primos, mesmo mais velhos, brincavam com a gente, e, juntos, criavamos filmes, passavamos tardes assistindo a fitas de video e imersos em filmes de ficcao cientifica e fantasia. Tempo bom aquele.

A diferenca de idade obviamente nos separou no inicio dos anos 90. Os guris, jah com seus quase 20 anos, tinham coisas muito mais interessantes pra fazer do que brincar com a prima, claro. Crescemos, seguimos caminhos diferentes, mas, nao, nunca nos separamos. Os reencontros foram ficando cada vez mais e mais raros e, a falta de tempo e todos aqueles outros blablablas da vida fizeram com que nossas vidas tomassem outros rumos. Pena.

Felizmente (porque tudo que eh ruim tem um lado bom e vice-versa), certas coisas na vida nunca mudam. Sangue eh sangue. E agora, todos (menos eu) casados, bem-resolvidos e crescidos, sabemos que continuamos os mesmos. Os Leite. Gremistas. Apaixonados por cinema. Por musica. Com um senso de humor incomparavel e invejavel. E sao nesses momentos em que eu queria poder viver duas vezes.

Sao risadas e historias incomparaveis, sao olhares trocados que dizem tudo. E sao dias como o de hoje que me mostram o quao importante eh ter uma familia estruturada - maluca e meio desunida as vezes, diga-se de passagem - mas sempre leal. E lealdade com os seus eh tudo nessa vida. As criancas da familia trazem uma alegria pueril dificil de descrever. Eh ver e sentir. Tenho pensado muito nisso ultimamente - o que vai ser a MINHA familia no futuro. Ou seja, serah que eu vou casar e ter filhos? A ideia nunca me atraiu, mas talvez o fator idade + terapia tenha mudado, little by little, isso em mim. Nao me repugna mais o pensamento de casar. Muito menos o de ter um filho. Eh, eu acho que eu serei mae um dia. (sente-se caso esteja em peh).

O "queria viver duas vezes" lah do inicio deve-se ao fato de que, assim, talvez eu nao teria deixado a distancia entre idades e interesses afastar a familia. Teria aproveitado mais essa parte da minha vida. Mas nao, nao dah. Paciencia. Por ora, resta o consolo de saber que a coisa mais importante na vida eu tenho. E ela eh parte de mim. E isso ninguem me tira. Eh sangue. E nem a morte separa. Soh espero que reencontros como esse nao virem somente mais uma foto num porta-retrato empoeirado na sala da minha mae. Do fundo do meu coracao.


Um comentário:

Guilherme disse...

http://www.youtube.com/watch?v=pVR7s-25Bio